OPINIÃO

Na contramão do ONU-Habitat

Por Luiz Augusto Pereira de Almeida*
Em setembro de 2016, escrevi artigo, publicado em vários jornais, intitulado “A desconstrução do futuro”, no qual observei o descompasso entre as políticas públicas relativas às cidades no Brasil e as recomendações da Terceira Conferência da ONU sobre Habitação e Desenvolvimento Urbano Sustentável (Habitat III), que seria realizada em Quito, no Equador, de 17 a 20 de outubro. Transcorrido um ano, a Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal), com apoio do Programa das Nações Unidas para Assentamentos Humanos (ONU-Habitat), realizou, em Santiago, no Chile, a Conferência das Cidades, destinada a implementar as medidas sugeridas no Habitat III.
Um dos aspectos discutidos neste evento é a necessidade de um planejamento urbano que proteja as cidades de riscos de desastres, como inundações. Outro avanço refere-se à importância de se implementarem mais parcerias público-privadas e várias frentes de colaboração entre governos e empresas para se promover o desenvolvimento dos municípios, que implica mobilidade, empregabilidade, segurança, bem-estar, moradia digna e sustentabilidade socioeconômica.
Esta síntese sobre a Conferência de Santiago nos alerta que continuamos no caminho errado no Brasil, a começar pela falta de sintonia do poder público em relação à parceria com a iniciativa privada, recomendada por alguns dos maiores especialistas mundiais no tema. O problema começa com a falta de adequado planejamento para a expansão das cidades, cujo crescimento é desordenado, suscitando providências improvisadas para o trânsito, moradia, abastecimento de água, coleta e tratamento de esgotos, geração de empregos e segurança pública.
Falta-nos mais diálogo com a sociedade e os setores produtivos, aproximação com universidades para a aplicação prática de seu conhecimento e segurança jurídica para investir, além de todos os onerosos itens do “custo Brasil”. Com honrosas exceções, os planos diretores quinquenais dos municípios estão longe de conter parâmetros eficazes para o desenvolvimento urbano.
Também poderíamos ter uma infraestrutura urbana e habitacional mais avançada, independentemente das crises econômicas intermitentes, se não fosse tão dificultada a realização de projetos socioambientalmente sustentáveis, que contemplam moradia, água, esgoto, saúde, escolas e infraestrutura. Há numerosos empreendimentos legalmente aprovados e licenciados, mas paralisados por força de discussões judiciais na esfera ambiental. É um custo com o qual todos os brasileiros arcam, considerando o investimento desperdiçado, os empregos não criados, a arrecadação de impostos não efetivada e os problemas sociais e demográficos decorrentes do déficit de moradias.
Na maioria das vezes, no caso dos projetos ecologicamente corretos, a paralisação não se justifica, pois os processos de aprovação e licenciamento ambientais aperfeiçoaram-se, assim como o entendimento dos empreendedores e a tecnologia disponível, além de todos os processos compensatórios eficazes.
O fato de o Brasil estar desconectado das recomendações dos especialistas e organizações multilaterais, como a ONU e a Cepal, está expresso nos números de nossas metrópoles, os quais revelam a proliferação de favelas, o desemprego, a poluição, saneamento básico insuficiente, criminalidade, congestionamentos no trânsito, quedas na rede de energia elétrica e qualidade de vida decrescente. Falta em nosso país a percepção de que esses problemas poderiam ser mitigados por um planejamento urbano de longo prazo, que levasse em conta a inexorabilidade do crescimento e adensamento urbano. Sem priorizar investimentos em soluções urbanísticas que assegurem qualidade de vida e um futuro melhor para os brasileiros, corremos o risco de perpetuar os índices negativos do bem-estar urbano.
Na Conferência de Santiago, demonstrou-se que 85% da população da América Latina e do Caribe estarão vivendo em cidades até 2050. Para nós, brasileiros, permanece no ar a pergunta: como enfrentaremos esse desafio?
* É diretor da Fiabci/Brasil e diretor de Marketing da Sobloco Construtora.
- Toda opinião divulgada neste espaço é de total responsabilidade de quem a emite.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

B
13
Yama-16.03.14
24-
09
22-
WELLS---160816
15
03
07
E

 

 

 

 

Leia mais

Vereador pede cascalhamento...
CARMO DO RIO CLARO (MG) - O vereador João dos Reis Vilela, o João do Tiãozão, disse que ponte mais próxima da saída Carmo/distrito de Vilelândia precisa ser cascalhada e pede que a prefeitura faça o serviço nas duas extremidades. Informou que o local está escorregando e levando perigo...
Crea-Minas lança campanha
BELO HORIZONTE (MG) - O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Minas Gerais (Crea-Minas) iniciou dia 15 de outubro de 2018, a campanha 'Regularize', que prevê descontos de até 95% em juros e multas para profissionais e empresas que tenham interesse em negociar suas dívidas de anuidades em atraso e autos de...
Caratê do CPN representa MG...
PASSOS (MG) - A equipe de Caratê do Clube Passense de Natação (CPN) viajou nesta quarta-feira (17) para disputar a fase final do Campeonato Brasileiro que será realizada entre os dias 17 e 21 de outubro no ginásio do Mineirinho, em Belo Horizonte (MG). Os lutadores do vermelho e branco vão representar o estado de...
Prefeitura propõe...
PASSOS (MG) - A administração municipal, está encaminhando para a Câmara de Vereadores o Projeto de Lei número 031/2018, que propõe a reformulação do 'Código de Saúde de Passos'. A proposição visa suprir as necessidades dos órgãos municipais de...
Pedal Mineiro: Francano vence...
PASSOS (MG) – O ciclista João Paulo Firmino Pereira, de Franca (SP), foi o primeiro colocado na quarta e última etapa do Circuito Pedal Mineiro de mountain bike, categoria Pró, disputada domingo passado, dia 14, em São Sebastião do Paraíso e denominada de ‘Maratona dos Cafezais’. Mais de 150...
Técnicos do Sesc visitam...
SÃO S. PARAÍSO (MG) - Na manhã de terça-feira (16), técnicos do Serviço Social do Comércio de Minas Gerais (Sesc-MG), vieram a São Sebastião do Paraíso para estudar a área da Praça de Esportes Castelo Branco e seu entorno, com a intenção de projetar as...
Quatorze requerimentos...
PASSOS (MG) - A Câmara Municipal de Passos realizou nesta segunda-feira (15) a 34ª Reunião Ordinária do ano. A reunião foi rápida, durando pouco mais de 20 minutos, tendo que ser realizada de forma improvisada devido à falta de energia elétrica no prédio da Câmara. O problema ocorreu na...
Times do CPN estiveram em...
PASSOS (MG) - No último final de semana o Clube Passense de Natação (CPN) foi representado nos interiores de São Paulo e Minas Gerais. O futsal e o vôlei, em dose dupla. Enquanto os meninos sub-9, 13 e 15 foram à Casa Branca (SP) para mais uma rodada da Liga Rio Pardense de Dessportos (Lidarp), a equipe master...
Parque Industrial: Prefeitura...
SÃO S. DO PARAÍSO (MG)- Vinte empresários de São Sebastião do Paraíso participaram na segunda-feira, 15, de uma reunião com o prefeito Walker Américo Oliveira, o secretário de Desenvolvimento Econômico, Ulisses Araújo e a secretária de Meio Ambiente, Yara de Lourdes Sousa...
Acip promove 'Sucesso...
PASSOS (MG) - Dia 26 de outubro a Associação Comercial e Industrial de Passos (Acip) vai entregar o prêmio 'Sucesso Empresarial 2018'. Cinquenta e duas categorias diferentes de empresas serão homenageadas este ano, além do 'empresário do ano' e o 'melhor vendedor' da cidade. O evento vai...