OPINIÃO

Opinião: Direito de greve x opressão

Por Paulo Cézar Fonseca*
Na próxima quinta-feira, dia 24 de abril, haverá paralisação dos servidores públicos municipais de Passos. A greve foi definida em assembleia da categoria, realizada no dia 11/04/2014. Conforme já amplamente divulgado, a mobilização dos servidores é uma resposta à indiferença com que a atual administração vem tratando os servidores municipais, sendo que a gota d’água foi a revisão do salário em apenas 5,56%, decidido pelo prefeito Ataíde Vilela sem qualquer negociação com o sindicato. A data-base da categoria é janeiro, o Sindicato dos Servidores Municipais de Passos (SEMPRE), sindicato da categoria, apresentou a pauta de reivindicações em dezembro de 2013 e até a presente data a administração municipal não respondeu os pedidos da categoria.
Definida a greve, criou-se a expectativa de que a administração municipal reconhecesse o equívoco de não negociar e chamasse o sindicato para conversar e, numa demonstração de responsabilidade e preocupação com o povo de Passos, tendo em vista que a greve provoca transtornos mil, cedesse à pressão e atendesse aos pedidos da categoria ou, no mínimo, dissesse os motivos para não atender.
No entanto, ao invés de se abrir ao diálogo, a administração se fechou ainda mais. Adotando uma postura ainda mais autoritária escalou a vereadora Cenira para exercer o papel de leoa de chácara. A edil usou a tribuna da Câmara e uma rádio dirigida por seu partido para desqualificar o movimento e responsabilizar o sindicato e sua diretoria pela postura antidemocrática dos administradores. A vereadora chegou ao cúmulo de dizer que a presidente do SEMPRE não era querida e devia ser trocada. De quebra, Cenira disse que a greve era política, com objetivo de atingir Ataíde, subestimando a inteligência dos servidores.
A tática de usar a vereadora Cenira como bucha de canhão para destruir o movimento não surtiu efeito. Os servidores se posicionaram ao lado do sindicato e de sua diretoria e hoje há consenso na categoria que a vereadora, que é servidora municipal, não passa de uma traíra dos servidores, principalmente dos professores. Se a administração e a própria vereadora têm a tribuna da Câmara e alguns órgãos de imprensa para falar o que não deve, os servidores e seus representantes dispõem de alguns órgãos de imprensa independentes e, principalmente, as redes sociais para falar o que a administração e seus aliados não desejam ouvir. 
É importante destacar que na mesma sessão da Câmara em que a vereadora Cenira partiu pra cima dos servidores, o vereador Alex Bueno (PSD), apoiado pelos vereadores Foguinho (DEM), Iran Parreira (PMDB) e Nardão (PMDB), apresentou proposta de criação de comissão especial para acompanhar o movimento dos servidores e intermediar a negociação com a administração. Ao justificar seu pedido, Alex demonstrou preocupação com os usuários do serviço público, pregando a necessidade de se estabelecer o diálogo e buscar o consenso para evitar a greve. Preocupações que a administração municipal e seus aliados não demonstram.
Frustrada a tentativa camicaze de Cenira, ao invés de se abrir ao diálogo, a administração partiu com mais força pra cima dos servidores. A bola da vez é vencer a categoria pelo medo, através da ameaça de corte de vantagens e dispensa de servidores contratados. Numa operação orquestrada, as chefias cuidaram de espalhar que os servidores efetivos que paralisarem perderão o direito a férias prêmio e os contratados serão simplesmente substituídos. 
E aí vem a pergunta que não quer calar: como um prefeito, ex-sindicalista, não respeita a greve dos servidores? Esta é uma pergunta que só Ataíde Vilela poderá responder. Durante a campanha eleitoral de 2012, em debate promovido pelo SEMPRE, com a presença dos quatro candidatos ao cargo de prefeito de Passos, Ataíde disse que cometeu um erro em sua primeira gestão (2005/2008), que foi não dialogar com o SEMPRE e que isto não ocorreria mais e, caso fosse eleito, as portas de seu gabinete estariam abertas ao sindicato dos servidores. É importante destacar que não houve qualquer atitude da diretoria do SEMPRE capaz de justificar a conduta adotada pelo prefeito. Parece que Ataíde jogou para torcida no debate e agora mostra suas garras para a categoria. O certo é que do ponto de vista político, na análise de uma sociedade democrática, a postura despótica da administração em não reconhecer a greve dos servidores mostra que o prefeito de Passos não está preparado para administrar a cidade. Lançar mão de ameaças de corte de vantagens e dispensa arbitrária é ato de covardia e servirá apenas para aumentar a revolta dos servidores municipais.
Não bastasse isso, do ponto de vista jurídico as ameaças não se sustentam. A greve é um direito assegurado aos trabalhadores no texto constitucional. Dispõe o art. 9º da Constituição Federal:”É assegurado o direito de greve, competindo aos trabalhadores decidir sobre a oportunidade de exercê-lo e sobre os interesses que devam por meio dele defender”. O SEMPRE se cercou de todos os cuidados para garantir a legalidade da greve, cumprindo no último dia 17 o último requisito, qual seja, comunicar ao representante do Município que a categoria está em estado de greve, com a primeira paralisação definida para o dia 24 de abril de 2014, quinta-feira. O período de greve é considerado como suspensão do contrato de trabalho e deve ser considerado falta greve, sendo que nenhuma vantagem, como férias prêmio, pode sofrer qualquer restrição em razão do movimento paredista. Quanto aos contratados aplica-se o mesmo princípio e não poderá haver qualquer punição. Ressalte-se, que para que haja qualquer punição, tanto para os servidores efetivos quanto para os contratos, teria que ser aberto processo administrativo, garantindo-se aos servidores ampla defesa e contraditório. Não se tem notícia, no Brasil, que algum servidor público tenha sido punido por exercer o direito de greve dentro dos limites legais.
As perseguições e ameaças aos servidores, colocadas em curso pela atual administração, fere a biografia pessoal e política de Ataíde, representa uma vergonha para ele e, da moda do outro, quando quem manda perde a vergonha os que obedecem perdem o respeito. A hora é de perder o respeito e, com ameaça ou sem ameaça, exigir tratamento digno e respeito aos servidores. Como bem disse a presidente do SEMPRE, Nelza Efigênia, “a era da opressão acabou e os servidores sabem de seus direitos”.  A Lei de Greve (Lei 7.783/89) dispõe em seu art. 6º, § 2º: “É vedada às empresas adotar meios para constranger o empregado ao comparecimento ao trabalho, bem como frustrar a divulgação do movimento.” Portanto, se tem alguém cometendo ato ilícito não é o sindicato e muito menos o servidor. A ditadura acabou, a greve é um direito assegurado aos trabalhadores e a hora é de desobediência civil. Vamos em frente.
Advogado, Secretário de Ecossocialismo e Cultura do PSOL/MG e Assessor Jurídico do Sindicato dos Servidores Municipais de Passos (Sempre).
- Toda a opinião expressa neste espaço é de total responsabilidade de quem a emite.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

05
13
08
E
07
Yama-16.03.14
03
18
11
15
09
B
WELLS---160816
22-
24-

 

 

 

 

Últimas - Opinião

Leia mais

Terça-feira de filme no Cine...
Filme: 'MACUNAÍMA (1969)' Título Original: Macunaíma Atores: Grande Otelo, Paulo José, Jardel Filho Diretor: Joaquim Pedro de Andrade Duração: 108 min. Ano de Produção: 1969 Origem: Brasil Gênero: Comédia Sinopse: Macunaíma é um...
Como reduzir o consumo de...
BELO HORIZONTE (MG) - O verão é a estação mais quente do ano e, por isso, os ventiladores, climatizadores de ar e aparelhos de ar condicionado são mais demandados.  Por isso, a Cemig separou algumas dicas para que a utilização desses aparelhos não aumente significativamente o valor das contas...
PMP esclarece sobre...
PASSOS (MG) - Através de nota oficial, a Prefeitura de Passos esclarece que "existem normas de segurança do trabalho que todo órgão público precisa seguir. Embasado nisso, a prefeitura vai licitar uma empresa especializada para regularizar e fiscalizar todos os laudos de salubridade e periculosidade dos servidores...
Emidinho alerta para...
BELO HORIZONTE (MG) - Diante de um cenário atual positivo para a safra de café que se aproxima, o deputado estadual Emídio Madeira, o Emidinho (foto), fez um alerta ressalva sobre as previsões de safra que já começam a aparecer. Segundo o parlamentar, que também é cafeicultor no Sul de Minas e uma...
Ministro garante verba para...
BELO HORIZONTE (MG) - O deputado Antonio Carlos Arantes (PSDB) ocupou a tribuna da Assembleia Legislativa quinta-feira, (15), para agradecer aos deputados federais Carlos Melles (DEM) e Renato Andrade (PP) por levarem o ministro da Saúde Ricardo Barros às cidades de São Sebastião do Paraíso e Passos, no último...
Renato consegue viatura para...
PASSOS (MG) - Dia 9 deste mês, o deputado federal passense, Renato Andrade, entregou ao 12º Batalhão da Polícia Militar de Passos uma viatura para auxiliar na atuação do efetivo junto à comunidade. O veículo foi adquirido por meio de emenda parlamentar do parlamentar e destinada para auxiliar na...
Pimentel participa de...
BELO HORIZONTE (MG) - O governador Fernando Pimentel participou nesta segunda-feira (19), na Cidade Administrativa, em Belo Horizonte, de reunião com os comandantes de Unidades Operacionais da Polícia Militar de Minas Gerais para discutir diretrizes e ações da corporação para este ano. Durante o encontro, o...
Vagas de emprego disponíveis...
PASSOS (MG) - Confira as vagas de emprego no setor de captação do Sistema Nacional de Emprego (Sine) localizado no posto da Unidade de Atendimento Integrado (UAI) de Passos, na Rua dos Engenheiros, 119, Bairro Belo Horizonte, telefone (35) 3526-5955: Código  Vaga - Ocupação e Observações - Nº...
Alunos de curso de teatro...
PASSOS (MG) - O grupo Trupe Ventania está finalizando o quarto curso de teatro em Passos, e dias 23, 24 e 25, os futuros atores vão encenar no Teatro Rotary, a peça 'A Liberdade é um Pássaro sem Asas'. Os ingressos antecipados custam 10, mas na bilheteria sobrre para R$ 15. De acordo como o diretor teatral...
Copa Passos tem reunião...
PASSOS (MG) - O presidente da Liga Passense de Desportos (LPD), José Vítor dos Santos, determinou o dia 21 deste mês, próxima quarta-feira, o prazo para que os clubes confirmem a participação na Copa Passos 2018. A segunda e última reunião com os representantes está programada para ter...